Sexta-feira, 18 de Março de 2005

Fechado

O blog fechou.

Adeuzinho e obrigado.
não é possivel comentar este artigo

escrito por PedroTeo às 10:34
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito

"Tú"

Te regalo mi cintura,
Y mis labios para cuando quieras besar,
Te regalo mi locura
Y las pocas neuronas que quedan ya.
Mis zapatos desteñidos,
El diario en el que escribo,
Te doy hasta mis suspiros,
Pero no te vayas más,
Porque eres tú mi sol,

La fe con que vivo,
La potencia de mi voz,
Los pies con que camino,
Eres tú, amor,
Mis ganas de reírme,
El adiós que no sabré decir
Porque nunca podré vivir sin ti.
Si algún día decidieras,
Alejarte nuevamente de aquí,
Cerraría cada puerta,
Para que nunca pudieras salir.

Te regalo mis silencios,
Te regalo mi nariz,
Yo te doy hasta mis huesos,
Pero quédate aquí,
Porque eres tú mi sol,
La fe con que vivo,
La potencia de mi voz,
Los pies con que camino,
Eres tú, amor,
Mis ganas de reírme,
El adiós que no sabré decir
Porque nunca podré vivir sin ti.
by Shakira, MTV Unplugged

escrito por PedroTeo às 01:05
link do post | Comentar | ver comentários (5) | favorito
Quarta-feira, 16 de Março de 2005

Duas noticias bem bonitas

A primeira noticia:

"Lisboa vai ser a capital europeia do sexo. Pelo menos durante quatro dias. Entre 30 de Junho e 3 de Julho, o pavilhão número 4 da Feira Internacional de Lisboa (FIL), vai receber o primeiro Salão Internacional Erótico de Lisboa.(...)
'A nossa ideia é fazer em Lisboa o mesmo que em Barcelona', explicou fonte da organização do espectáculo.(...) 'A norma que impusemos aos expositores é que não pode haver sexo explícito com o público, como acontece em Barcelona. (...) Caso a lei portuguesa o permita vai haver sexo ao vivo, mas entre actores." in Visao

Noticia no Correio da Manhã
É sempre bom saber que estamos a fazer tudo para apanhar o comboio da Europa e sermos tão ou mais evoluídos que os restantes europeus. Viva!


Segunda Noticia:

Existe um restaurante em Londres, que tem como politica não ter preços no menu, deixando para os frequentadores escolherem o preço que acham que a refeição mereceu.
Ler mais aqui.
As vezes que eu ia a este restaurante !! No fim dava sempre 50 cêntimos, alegando que está a melhorar, sim confessaria, mas continua a ter um travo amargo na boca e faz-me cólicas de vez em quando. Mas claro dizendo sempre que a tendência é para melhorarem, esperando que no próximo ano já pague pelo menos um euro. Um balúrdio!

escrito por PedroTeo às 22:06
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 13 de Março de 2005

As coisas que nos dizem e que ouvimos.

Dizem-nos e ouvimos por vezes determinadas conversas que nos deixam de boca aberta, a pensar se os nossos ouvidos ainda possuíem todas as suas capacidades intactas.
Foi o que me aconteceu na semana anterior.
A primeira situação não chegou a ser bem uma conversa, mas sim uma frase que ouvi dirigida a mim. Num belo sábado pela manhã, estava eu a trabalhar (e como eu gosto de o fazer ao sábado...) até que numa pausa para comer, fiz o que costumo fazer sempre quando vou ao café. Perguntei se alguém queria alguma coisa. Niguém quis. Continuei o meu caminho, cheguei à recepção e fiz a mesma pergunta à jovem que lá estava. Ela respondeu-me que sim, queria. Uma garrafa de água e um maço de cigarros. Deu-me 10 €. Ainda lhe disse que não comprava tabaco a ninguém, mas era na palhaçada, virei-lhe as costas e lá fui eu. Quer dizer ia eu.
Até aqui parece tudo normal, mas a rapariga lembrou-se de me dizer o seguinte enquanto descia as escadas: "Olha Pedro, podes comprar algo para ti se quiseres! A sério."
Claro que o meu cérebro e coração deixaram de funcionar. Mas por breves segundos...
Mas de que parte do cérebro dela veio o sinal eléctrico para me dizer uma merda daquelas?? Se eu quiser posso comprar alguma cena?? FDS o quê ? Uma pastilha ou um chupa, para eu me contentar? Claro que voltei-me para ela e após respirar correctamente, respondi-lhe de forma calma e a rir com vontade, que não precisava dos € dela para comer nem para nada.
Que ideia deve ter aquela moça de mim para me dizer tal cena? Será que também sou culpado em levá-la a dizer isso, porque me comporto por vezes de uma forma não tão adulta?
Bem mas foi coisa de minutos, porque vindo de quem vem, tem o valor que tem, era só mesmo para partilhar e também tentar perceber o porquê de algumas afirmações das pessoas.

Segunda situação: na minha universidade, dois colegas meus a falarem de politica, religião e outras coisas bem problemáticas. Um de raça negra outro de raça branca. Não costumo caracterizar por raça, não tem qualquer relevância, mas neste contexto até acho que sim.
Falava o de raça branca, ao ver na tv as imagens de arquivo dos atentados de 11 de Março em Madrid, que a religião é o grande problema da sociedade nos dias de hoje. O negro concordava e acrescentava que a guerra também seria. Eu concordava.
Falaram depois de politica. O branco começou a danar-se um pouco mais quando falava no Sócrates, devido ao boato sobre a homosexualidade dele. Afirmou que a homosexualidade é uma doença. "Calma, não doença fisica, mas sim doença da sociedade..." dizia o branco. O negro não concordava. O branco afirma que se tivesse um filho homosexual seria o maior desgosto da vida dele, que o poria fora de casa sem hesitar, preferia que andasse na droga antes (onde é que eu já ouvi isto.....). O negro ficou supreendido, protestava e dizia que se tivesse um filho homosexual não iria ser nada de diferente, desde que fosse boa pessoa. Eu não abria a boca, já estava o caldo entornado.
O branco dizia até que achava um horror casais homosexuais pudessem adoptar crianças, porque uma criança nunca iria ter uma educação saudável com dois pais ou duas mães. O negro discordava e chegava a dar o exemplo de vida dele próprio que viveu sempre numa casa cheia de mulheres. Eu apenas assimilava, para depois pensar e escrever tudo porque também já não me ouviam.
Mas afinal quem é o negro e branco nesta história? Onde está a mentalidade mais aberta de todos nós, alicercada por tudo o que vemos nas noticias, pelo que vivemos e sabemos.
Para pensar, digo eu.


Feel the rain on your skin
No one else can feel it for you
Only you can let it in
No one else, no one else
Can speak the words on your lips
Drench yourself in words unspoken
Live your life with arms wide open
Today is where your book begins
The rest is still unwritten...


escrito por PedroTeo às 22:27
link do post | Comentar | favorito
Domingo, 27 de Fevereiro de 2005

O mesmo ciclo, novas atitudes, espera-se...

A partir de amanhã vai começar novamente o ciclo atribulado. Começo as aulas, vem o stress agarrado, além do trabalho, a frequência no curso, e outros montes de problemas que todos nós temos.
Tenho é de tentar que esses problemas nã me afectem tanto, como anteriormente, porque no fim o prejudicado é quase sempre o mesmo, enquanto os outros continuam, triturando e devastando tudo o que aparece pela frente, não se importando nem tendo a clarividência para perceber como os outros ficam pelo caminho.
E quando é assim temos de ser nós a acautelar-nos, criar uma segunda pele contra tudo isso. O cansaço, ou a desilusão acaba sempre por nos levar a melhor, e nós ao tomarmos consciência de tudo pensamos: "Porra, tenho de mesmo de mudar senão dou cabo de mim..."
Sim porque nós podemos mudar, ou pelo menos moldar-nos, não custa nada admitir, detesto quando dizem "eu sou assim, sou como sou, não vou mudar, não posso fazer nada...", e refugiam-se nisso para explicar coisas que não têm explicação, para poderem continuar a desculpar-se quando fazem porcaria.
Mas nem tudo é assim tão cinzento, pode ser que venham novas atitudes que ajudem a passar por tudo da melhor forma possível.

Ontem falei com a mãe da Sara por telefone. Não sei bem porque o fiz ao fim de tanto tempo sem termos contacto. Acho que foi para ouvir, para ser ouvido e para perceber se estava a fazer alguma coisa de errado, se estaria a ver tudo distorcido, ou pelo menos gostaria de ter uma explicação para o que se passava. No fim fiquei aliviado, mais esclarecido por tudo o que me disse. Valeu apena.

escrito por PedroTeo às 17:51
link do post | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Domingo, 20 de Fevereiro de 2005

Mesmo "bué" coisas para ler !

Depois de uma grande pausa sem actualizar o blog, devido a retiro espiritual (ou foi a fazer exames ?!? ) volto a escrever e em quantidades industriais.
São resmas de assuntos, de histórias enfim......
Antes de mais um ponto prévio. No meu blog, ou canto de escrita, não tenho altura para escrever, não tenho prazos em que tem de ser feito um novo artigo, e este espaço não é para alimentar novelas, ou seja, quem vem ao blog para ler a resposta a algo que se passa ou que foi escrito, desengana-se, dê meia volta e carregue na cruz da janela. Porque para essas situações existe sempre outras vias, como sendo o telefone, a conversa cara a cara, além de outras. As pessoas envolvidas (que são aquelas que me interessam) sabem sempre o que se passa comigo, têm sempre as minhas respostas a determinadas situações não precisando do blog para saberem como estou.
Porque sou assim, não tenho essa capacidade de constantemente demonstrar como me sinto, apenas por não gostar de me revelar ou simplesmente por não me apetecer. O que não quer dizer que por vezes em algum momento não demonstre um pouco como me sinto, ou pelo menos quem me conhece percebe logo o que se passa, mas nunca passará muito mais disso.

Bem, mudando para as histórias...
Uma Amiga minha contou-me uma história veridica e maravilhosa que foi presenciada pela própria numa daquelas camionetas gratuitas que levam os consumidores às grandes superficies comerciais. Vou transcrever na íntegra, nada como o original para contar esta recambulesca história:
"....então ia eu e ela na camioneta e entram duas velhotas que se sentam á nossa frente e a falar muito alto
qd passámos ao pé do cemitério vira-se uma para a outra e diz que tem que ir votar no próximo domingo
porque quer ser enterrada naquele cemitério
e a outra perguntou-lhe porque É QUE ELA ESTAVA A DIZER AQUILO !?!?
e ela diz que a filha lhe disse que qd as pessoas morriam que a camara ia ver se elas tinham votado
e se tivessem votado eram enterradas naquele cemitério senão iam para qq outro
e ela gosta daquele cemitério porque tem muita gente e é ao pé do ******** parque e ela tem medo de ir para outro cemitério
e a outra mulher perguntou-lhe se a filha não estaria a brincar
e ela diz com um ar muito serio " não! a minha filha não brinca com a morte!"
o pior é que a outra ficou super pensativa e passado um bocado pergunta
mas não é só estar recenseado?
não! é preciso votar!
e então ela ponderou e repondeu " então vamos lá e fazemos uma cruz em qq sitio"
e ficaram a combinar as coisas para irem votar para serm enterradas no cemiterio movimentado


Escusado será dizer que enquanto ela contava, eu já não aguentava de tanto rir. Moral da história: no domingo tudo a votar !!!!!!! :).

Mas ainda tenho mais outra e esta foi presenciada por mim na minha universidade, e foi mais ou menos assim:
Numa pausa para café, no bar entre um grupo de colegas, há um que entre conversas diz que é dirigente de um clube e que esse mesmo clube é o único da margem sul para baixo que irá ter futuramente uma equipa de basquetebol em cadeiras de rodas, Até aqui tudo bem. Mas depois utiliza esta bela frase: "Está quase tudo preparado, já temos cinco cadeiras e três encomendadas !!"
Escusado será dizer que durante largos minutos foi a gargalhada geral, porque uma pessoa congratular-se por ter as cadeiras mas não ter as pessoas parece mesmo uma frase pertencente ao humor negro. Até parece que já estou a ver esse dirigente à porta do hospital à espera de um acidente das nossas estradas portuguesas, para fazer as primeiras contratações para a sua equipa. Imagine-se a situação, a pessoa a chegar em maca, num estado gravissímo, e o dirigente a perguntar: "Olhe, se por acaso ficar sem andar, gostava de o contratar para a nossa equipa, precisamos de praticantes e o senhor parece ter um tronco e braços muito fortes, iria ser com certeza a estrela da nossa equipa. Pense nisso sim??"
Avisei que isto era mesmo humor negro, peço desculpa a quem se sensabilizou.


Parece-me que é tudo por enquanto. Queria apenas dizer que neste momento as minhas relações estão muito mais estáveis, após alguns percalços que abalaram a estrutura de uma forma positiva vendo bem, consigo também eu próprio lidar muito melhor com as minhas sensações, anseios e receios. Sim porque eu também sinto tudo o que me rodeia, questiono-me bastante sobre como poderia ser, mas essa fase penso que já passou. Não faço qualquer referência pessoal a ninguém, embora pelo que ultimamente foi escrito aqui, deveria fazê-lo mas isso já foi tratado em grande parte. Em relação ao resto ela sabe que estou cá para ouvir, ou para......o que for preciso.
Vou esperar.

escrito por PedroTeo às 13:35
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 29 de Janeiro de 2005

"Take me Away"

How long will I keep this candid camera smile?
My muscles hurt, I better rest for a while
Breathing is the only thing that keeps me alive
All this oxygen, crushes me, leaves me so tight
Let me out...

My pain is leading, I got no control from now
Don't try to help me, I don't want to put you down
All my reasons will be misunderstood,
I wish you well, in here there's nothing good

My heart is rotten with all the worst kinds of diseases
It tries to be better but all it can do is bleed
I'm so tired |of myself| *
Oh gOD please take me away
Oh take me away
And bring someone else
Take me away
Take me away...

One of my friends believes in every gOD damn fucking thing she reads
And she's always talking about the end of the century
But listen, have you ever stopped to realise
That if it happened there would be no one, but no one to feel alone?

I should be going, so much damage I've done
So many tears and still alot more to come
Excuse, don't push my wheel chair
I don't want to go anywhere

My heart is broken with so many diseases
Tries to be better but all I can do is bleed
I'm so tired |of myself| *
Take me away
Oh take me away
And bring someone else

Alone, I don't care
And now all I remember is the smell of your hair


* Apenas pertence à letra original, não é referido ao vivo, não sei se de forma intencional

in Silence 4, ao vivo no Coliseu de Lisboa, 2000

escrito por PedroTeo às 19:30
link do post | Comentar | ver comentários (7) | favorito
Sábado, 22 de Janeiro de 2005

"Garden State"

Image Hosted by ImageShack.us

É raro eu ver um filme e depois compulsivamente, ir ver novamente. Sem nenhuma razão aparente, apenas por sentir essa necessidade.
As coisas acontecem porque assim tem de ser, vi este filme apenas devido a achar a capa engraçada e porque o nome até era esquisito. Esta "coisa" de andar a "sacar" filmes da net por tudo e por nada dá nisto, perdem-se bons filmes pelo caminho. Mas falando em concreto do que está em questão: se fosse fazer uma critíca, ou explicar a alguém do que o filme trata seria muito dificil, no minimo. Por isso dou apenas a minha visão do que acho que se pretendia contar. Porque é apenas uma história.

Garden State relata a vinda de um rapaz à sua terra natal para o funeral da mãe, ao fim de 9 anos. Conhece as pessoas caricatas que há na sua terra, e que estão na mesma desde que ele se foi embora, e conhece uma rapariga. E algo vai modificá-lo....
Para mim a história é "muito isto". Claro que tem outros universos paralelos, como a relação com o pai, o evitar da confrontação com o pai, a dificuldade que ele tem em abrir o seu coração para uma rapariga que é cheia de vida, cheia de cores, alegre, muito mentirosa, engraçada. O contraste entre o estado depressivo dele (Andrew Largeman), porque foi constantemente medicado, desde a infância, pelo seu pai devido a falsas doenças, e o estado efusivo dela (Sam) é de uma qualidade como nunca vi, baseado em simples diálogos com muito humor. O filme possui 8 ou 9 cenas (só não digo que são todas para não parecer mal) em que os diálogos são maravilhosos, deveriam pertencer aos anais (palavra perigosa....) do cinema.

Também me identifico em muitos aspectos com o Andrew Largeman, não fisicamente, mas na maneira calma como ele fala, vive, sem deixar ninguém perceber como se está a sentir. Se calhar por isso pegou mais em mim.
Respeito ainda mais o filme quando fui investigar sobre o mesmo e com mais cuidado verifiquei que o realizador, escritor e personagem principal são a mesma pessoa, Zach Braff, que apenas é conhecido em Portugal noutros registos totalmente diferentes, em comédia pura. Como é que alguém consegue escrever uma coisa tão.....simples, mas que diz tanto e de uma forma tão arrebatadora. Tenho uma "boa inveja" deste tipo, por ser tão novo e ter escrito esta história.
Também percebi porque é que no Internet Movie Data Base, "Garden State" tem 8.2 em 10 pontos possíveis, já com 16 mil e 250 votos no total.
Só não dou pontuação máxima pelos primeiros 25 minutos que são algo estranhos de perceber, com planos diferentes de filmagem, diálogos estranhissímos, entre outras coisas. Mas até aí percebo onde o realizador queria chegar. Os 25 minutos tinham de existir porque simplesmente fazem falta para poder contar a história e porque por vezes a vida é mesmo assim, estranha e aborrecida. Não queria contar muitos pormenores, o resto só vendo mesmo.
Ah, comemora-se hoje a quinta vez que vou ver "Garden State".

escrito por PedroTeo às 23:57
link do post | Comentar | ver comentários (6) | favorito
Sábado, 15 de Janeiro de 2005

Foi apenas mais um dia

Na quarta-feira (12 de Janeiro) fiz anos.
Anteriormente esse dia costumava ser passado de uma maneira especial. Tinha uma festa familiar, muito pequena, fazia de tudo para saberem que fazia anos, embora muitos amigos já o soubessem, e tentava que fosse um dia realmente diferente - como se queira rotular um dia de "diferente" - para assim me recordar.
Este ano fiz precisamente o contrário.
Devido à universidade, ao meu trabalho e ao curso que frequento ( Cisco ) só estive em casa quando já o dia 13 aparecia. Pelo menos não recebi aqueles telefonemas dos tios, tias, primas, que já não vemos à meses a desejarem-nos saúde e que "estejamos todos cá para o ano, isso é que é preciso". É sempre um pouco incómodo esse tipo de conversa, mas tudo bem as pessoas pelo menos têm essa consideração.
Quem me telefonou, quem falou comigo, quem me deu os parabéns foi as pessoas que já estava à espera e que muito contribuíram para que esse dia fosse passado de uma forma feliz. Até houve muita gente que me supreendeu por se terem lembrado.
Mas não deixou de ser mais um dia, até porque em todos os dias do ano há pessoas a celebrarem o seu aniversário. Descobri isso à pouco tempo........;)
O resto que se lixe.

escrito por PedroTeo às 23:23
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 9 de Janeiro de 2005

Quando ninguém me vê

A veces me elevo, doy mil volteretas
A veces me encierro tras puertas abiertas
A veces te cuento por qué este silencio
y es que a veces soy tuyo y a veces del viento

A veces de un hilo y a veces de un ciento
Y hay veces, mi vida, te juro que pienso:
¿Por que es tan dificl sentir como siento?
sentir ¡Como siento! Que sea difícil

A veces te miro y a veces te dejas
me prestas tus alas, revisas tus huellas
A veces por todo aunque nunca me falles
A veces soy tuyo y a veces de nadie
A veces te juro de veras que siento,
no darte la vida entera, darte sólo esos momentos
¿Por qué es tan dificil?...Vivir sólo es eso...
Vivir, sólo es eso...¿Por qué es tan dificil?

Cuando nadie me ve
puedo ser o no ser cuando nadie me ve
pongo el mundo al revés
cuando nadie me ve no me limita la piel
cuando nadie me ve
puedo ser o no ser
cuando nadie me ve

Te escribo desde los centros de mi propia existencia
donde nacen las ansias, la infinita esencia
hay cosas muy tuyas que yo no comprendo
y hay cosas tan mias, pero es que yo no las veo
supongo que pienso que yo no las tengo
no entiendo mi vida, se encienden los versos
que a oscuras te puedo, lo siento no acierto
no enciendas las luces que tengo desnudos,
el alma y el cuerpo

Cuando nadie me ve
puedo ser o no ser
cuando nadie me ve
me parezco a tu piel
cuando nadie me ve
yo pienso en ella también
cuando nadie me ve,
no me limita la piel

A veces me elevo, doy mil volteretas
Te encierro en mis ojos
tras puertas abiertas
A veces te cuento por qué este silencio
y es que a veces soy tuyo y a veces...
del viento
A veces del viento

Y a veces del tiempo...


Alejandro Sanz - MTV Unplugged: "Cuando nadie me ve"
Lembro-me de ouvir esta canção ininterruptamente. Eram fases que felizmente passaram.

escrito por PedroTeo às 17:06
link do post | Comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 30 de Dezembro de 2004

O fim do ano

não me diz nada. Reformulando, diz-me muito pouco.
Analisando mesmo bem e sendo verdadeiro......detesto o fim do ano.
Embora esta passagem de ano vá ser diferente dos últimos dois anos (que foi passada em casa) não gosto nada daquela noite. Sim, se a passarmos bêbados melhor, nem damos por ela. Mas de resto...
Todo aquele ritual que quase todos fazemos irrita-me bastante e não vejo sentido nenhum. Exemplos:
  • As doze passas: acreditem, se não comermos alguma ou nenhuma, nada nos acontece.
  • Os abraços, brindes e cumprimentos a TODAS as pessoas que estejam presentes. Se faltar algum destes gestos com alguma pessoa, não acontece nada. Nem a nós nem a essa pessoa.
  • As novas resoluções para o ano novo: "Vou emagrecer", "Vou ser outro ser humano", "Vou ser vegetariano", "Vou deixar de fumar", "Vou deixar o vício da PS2". Se tivermos bêbados quando se diz tais coisas tudo bem, de resto essa noite não tem nada de transcendental. E mentir é feio...
  • Fazer o filme do ano que passou na nossa cabeça. Não gosto nada de o fazer, mas é quase uma reacção natural. As minhas recordações estão catalogadas por momentos únicos, interligados a pessoas por vezes, não estão associadas a anos.

Esta passagem do ano espero divertir-me muito, de modo a que não tenha de pensar nos "rituais" e acordar no dia seguinte feliz. Já não seria mau.

Pronto, acho que está tudo. Convinha dizer isto, antes que o ano acabasse. Mesmo assim, Feliz Ano Novo para todos!

escrito por PedroTeo às 16:56
link do post | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Domingo, 26 de Dezembro de 2004

To understand

It´s a fact. I don´t understand.
The lack of feelings, the emptiness, the lethargy and the inertia of the human being.

It´s amazing how a person can suffer, without the need, without no reason, just because.....well just because. Not even thinking that there´s another way, with no tears in the pillow.

So, when will be the awakening ?? It will happen ? Or am i being dull ?
Now that i´m outside, i can see more clearly now. But it remains inexplicable.

Nevertheless, all my reasons will be misunderstood i know that, but i have to say something.
And in english , did you understood something, at least ?

escrito por PedroTeo às 17:11
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 22 de Dezembro de 2004

Feliz Natal !!

Como alguém me alertou, esqueci-me de desejar festas felizes para todos.
Ficam algumas fotos de Lisboa "natalícia":


Free Image Hosting at www.ImageShack.usFree Image Hosting at www.ImageShack.usFree Image Hosting at www.ImageShack.us

Deixo também uma página com fotos muito belas: Lisboa 2004

escrito por PedroTeo às 15:26
link do post | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 15 de Dezembro de 2004

Mais uma companheira nesta blogosfera

É mais um espaço apresentado pela própria como sendo o "meu canto magico", é o blog da Lita.

Do ainda curto tempo de vida, gostei muito do que li, realço a seguinte frase, ou afirmação: "Enganem-se aqueles que pensam que segredos serão revelados e mistérios resolvidos…

Tão novinha e já escreve coisas destas hein ?!?!.....:)
Agora não fiques corada outra vez por falar no teu blog ;)

escrito por PedroTeo às 22:52
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 8 de Dezembro de 2004

Bilhete da minha sobrinha de 8 anos

A minha mãe encontrou um bocado de papel amarrotado que pertencia à minha sobrinha em cima do sofá, por mero acaso. Estava quase para mandar fora, parecia mais um rabisco, quando viu que tinha algo escrito e decidiu ler.
Mostrou-me, li e achei perfeitamente incrivel a ingenuidade de uma criança de 8 anos que escreve a uma amiga para se desculpar de uma zanga que tiveram.
Mas nada melhor do que transcrever na integra a carta:

Margarida, pesso desculpa pela zanga que tívemos na sexta-feira eu estava tão zangada e triste com a Marta que nem olhei para o lado puzitivo olhei para o lado impuzitivo e então quiz ficar sem brincar com ninguem por isso fingi que estava zangada com todos mas não, era só com a Marta.

I rest my case! :)
escrito por PedroTeo às 18:11
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 7 de Dezembro de 2004

I hope it lasts

It seems like I can finally rest my head on something real
I like the way that feels
Ohhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
It's as if you've known me better than I ever knew myself
.......................
.......................
How do you know everything I'm about to say?
Am I that obvious?


Está tudo mais calmo agora.
escrito por PedroTeo às 16:56
link do post | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2004

Comentários já disponiveis

Já dá para comentar artigos.
Ainda não está como quero mas está funcional, pelo menos.
escrito por PedroTeo às 11:03
link do post | Comentar | ver comentários (3) | favorito
Domingo, 5 de Dezembro de 2004

Mudanças = Problemas (pelo menos numa grande % das vezes)

Ponho-me a brincar com o código do blog e depois dá nisto. Por enquanto não está a ser possível comentar nenhum artigo.

Estou a tentar arranjar tempo para solucionar o problema. Até lá as fans e os "fãos" contactem-me de outra forma.
Daquela forma que já sabem.

E tudo, e tudo......
escrito por PedroTeo às 20:31
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 4 de Dezembro de 2004

Operação Plástica

Foi feita uma operação plástica (caso ainda não tenham reparado...) ao blog. Desde há muito tempo que estava a necessitar.
Aquele azul fluorescente estava quase a deixar-me cego.

Obrigado ao Carlos -pelos conhecimentos técnicos- e à Paula -na escolha de cores- nesta "árdua" tarefa de alteração de layout.
escrito por PedroTeo às 02:30
link do post | Comentar | favorito
Quinta-feira, 25 de Novembro de 2004

Nova definição de Relação. Saíu mesmo agora ainda é fresquinha.

Young Noah: Would you just stay with me?

Young Allie: Stay with you? What for? Look at us, we're already fightin'

Young Noah: Well that's what we do, we fight... You tell me when I am being an arrogant son of a bitch and I tell you when you are a pain in the ass. Which you are, 99% of the time. I'm not afraid to hurt your feelings. You have like a 2 second rebound rate, then you're back doing the next pain-in-the-ass thing.

Young Allie: So what?

Young Noah: So it's not gonna be easy. It's gonna be really hard. We're gonna have to work at this every day, but I want to do that because I want you. I want all of you, for ever, you and me, every day. Will you do something for me, please? Just picture your life for me? 30 years from now, 40 years from now? What's it look like? If it's with him, go. Go! I lost you once, I think I can do it again. If I though that's what you really wanted. But don't you take the easy way out.

Young Allie: What easy way? There is no easy way, no matter what I do, somebody gets hurt.

Young Noah: Would you stop thinking about what everyone wants? Stop thinking about what I want, what he wants, what your parents want. What do YOU want? What do you WANT?

Young Allie: It's not that simple.

Young Noah: What... do... you... want? Whaddaya want?

Young Allie: I have to go now.

OK é um dos diálogos do filme "The Notebook", mas eu quase que jurava que tinha lido isto num dicionário. Deve ser porque me parece tão verdadeiro

Afinal a definição de relação é mais pequena do que pensava, editei por isso mesmo.
escrito por PedroTeo às 15:18
link do post | Comentar | favorito

"Olhe eu era um reboque por favor!"

Ia eu a uma velocidade estonteante no meu carro em direcção a Setúbal para mais um grande dia na minha universidade, quando de repente oiço um barulho. Mas não era um barulho qualquer.
Era daqueles que nos deixa a pensar: "estou fod***". E estava mesmo. Telefonei para a assistência em viagem, e após responder a 500 perguntas uma delas era em que quilómetro estava nessa auto-estrada. Fds!!! Mas eu sei lá, não tinha nenhuma placa ao pé, não fazia a menor ideia. Que me encontrassem por satélite, eu ia dizendo adeus e alguém depois via-me. Mas achei melhor não dar esta ideia ao operador. Vá lá que estava a estação do comboio ao lado e deu para situar. O operador que conte os quilómetros porra!.
Lá fiquei alguns minutos sozinho na auto-estrada, à espera de um reboque.
Enquanto esperava só pensava: "Por favor que não apareça um "rebocador feminino". Porque se fosse um gajo, que é o normal, a conversa seria mais ou menos assim:

- Então chefe o que se passa com a viatura?
- Fds cara*** veja lá que esta mer** pifou no meio da pu** da auto-estrada e agora fico agarrado a olhar para esta filha da mãe de paisagem.
- Vamos já rebocar a viatura então. Torça tudo e siga!!

Agora se fosse uma gaja o paleio já seria assim:

- Muito boa tarde, indique-me então qual a causa da avaria?
- Boa tarde minha senhora. Com a breca, realmente não tenho uma ideia precisa do que possa ter sido, mas sei que fiquei imobilizado devido à minha viatura ter parado a sua marcha. Aproveitei assim para ver a linda paisagem que os meus olhos admiram.
- Sendo assim peço-lhe que entre na viatura para começarmos a manobra de rebocamento.
Mas tive sorte, era um gajo. E daí não sei, porque até podia ter calhado uma gaja tipo assim......jeitosa.
Na viagem de volta, dentro do reboque, pus-me a pensar. Comparei algumas situações na vida com o que me aconteceu. Por vezes na vida tentamos sempre avançar a grande velocidade, mas acontece um percalço qualquer que nos faz parar. Nessas alturas, temos de chamar alguém da nossa total confiança (amigos, familiares....) que nos saiba dizer o que se passou e que nos leve de volta para o ponto de partida, o nosso ponto de abrigo, a nossa casa. Mas passado algum tempo voltamos a querer tentar e lá vamos para a estrada, a alta velocidade, sem ligar a ninguém, sem olhar para as saídas, ou seja, aquelas tabuletas que dizem "Felicidade", "Conforto", "Amor", "Estabilidade", porque pensamos que conseguimos ir sempre um pouco mais à frente. E continuamos a acelerar até ao próximo percalço.
Claro que há pessoas que mudam de direcção e viram nessas placas.

Logo o pensamento para hoje é: Virem nas tabuletas pá!!! Nem que seja naquelas que dizem "Coina", "Bairro do Peixe Frito", "Sarilhos Grandes", "Sarilhos Pequenos", "Piça" e outras desse género. Nunca se sabe o que se pode encontrar.
escrito por PedroTeo às 14:57
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2004

The Corrs- Pavilhão Atlântico, 16 de Nov

Eu estive lá !!!!!
E foi bom, muito bom. A minha banda favorita não me deixou mal. Apesar do concerto ter lugares sentados -onde já se viu??- a meio do concerto o P. Atlântico já estava de pé, rendido e cantando ao som da música irlandesa.
Havia muito para contar, mas fica só a foto-reportagem, o resto vem um dia destes:

Free Image Hosting at www.ImageShack.usFree Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.usFree Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

"Cliquem" nas imagens para ficar muito grande ! :)

Alguns links para fotos maiores:

Foto1

Foto2

Foto3

Foto4

Foto5

Foto6

Foto7


Review do concerto no jornal A Capital
escrito por PedroTeo às 19:33
link do post | Comentar | favorito
Domingo, 14 de Novembro de 2004

59 054 087

O Presidente da maior?!? democracia do Mundo...

O que pergunto ainda é: Como conseguem muitas pessoas ser ainda mais estúpidas ao ponto de pensar que existem diferenças entre os dois candidatos ???
E que tal votar naquele "senhor" que vem no boletim de voto que se chama Voto em Branco? Ou não consta?
Mas existiram tantas eleições por esse mundo fora ultimamente, que interrogo-me porque refiro-me só a esta........Acho que é porque dá mais vontade de rir do que qualquer uma.

Fora do contexto: um beijo para a V.Porto que esteve (está?) fora nos últimos dias e que pelo que sei nunca mais volta. Volta que estás perdoada ;) .
escrito por PedroTeo às 12:34
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 10 de Novembro de 2004

Gato Fedorento: kgs de humor inteligente

No domingo à noite eu e respectivos Amigos, fomos ao Tivoli ver o espectáculo do Gato Fedorento. Nunca pensei que fosse tão fácil dar 25€ e não ficar a pensar se foram bem empregues ou não.

É bastante reconfortante ver em cima do palco pessoas - os "gatos" não se consideram actores - jovens, portugueses, com grande qualidade, textos cómicos extremamente bem escritos e isto tudo sobre coisas parvas, mas ao mesmo tempo tão corriqueiros que nem nos damos conta como por vezes todos nós fazemos belas figuras em várias situações.

O espectáculo é basicamente eles, os quatro elementos, em cima do palco tendo como suporte bons textos e claro têm todos eles uma(s) veia(s) cómica(s). Sem cenários espampanantes (eram uns cubos de plástico apenas), guarda-roupa do mais simples que há, fazem um show de quase duas horas para rir do primeiro ao último minuto.

Nos tempos que correm, rir é realmente o melhor remédio e isso notava-se pelas senhoras que estavam à minha frente, parecia que a qualquer momento ia-lhes dar um enfarte.

Pormenor: estava na fila C, quase que levava com o cuspo deles, o que torna o espectáculo muito mais interactivo, muito mais 3D....


Explicar o humor do "Gato Fedorento" é muito dificil, é mesmo inovador e particular mas se lerem estes links que estão no blog deles dão uma boa ideia:

Artigo Inicial (ler só a parte de “DEIXA-ME SÓ PÔR O ANTI-VÍRUS”)
Artigo Seguinte (a resposta a dois mails de leitores indignados sobre o artigo inicial)

Espera-se a todo o momento a foto-reportagem, quer dizer eu não sei se as fotos tiradas no telemóvel ficaram explicitas, mas quem manda fazer telemóveis com essas mariquices? E o que é que isso interessa? Pois....

Kunaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaami fresquinho !!! :)

Esqueci-me de referir os nomes que constituiem o "Gato Fedorento". São eles: Tiago Dores, Miguel Góis, Zé Diogo Quintela e Ricardo de Araújo Pereira.
O seu a seu dono.
escrito por PedroTeo às 21:53
link do post | Comentar | ver comentários (3) | favorito
Domingo, 31 de Outubro de 2004

Recomendações Musicais e outras coisas mais

Estou cada vez mais a habituar-me à minha nova rotina, já consigo adaptar-me aos novos horários e assim tenho algum tempo para escrever. Tudo bem que é de semana a semana, mas escreve-se. Torna-se mais difícil de sintetizar tudo o que se passou nessa semana, mas o objectivo deste espaço não é esse.
É só mesmo escrever, de preferência algo que valha apena ler.....
Assim decidi fazer critíca musical. Se qualquer pessoa a pode fazer, independentemente de saber ou não nada sobre música, eu também faço.
As recomendações para esta semana, referem-se só a músicas, não a álbuns completos, porque eu "funciono" muito assim, é raro gostar de álbuns, mas tenho muitas músicas que aprecio. As recomendações são:

  • Vanessa Carlton - "White Houses"
  • Mesa com Rui Reininho - "Luz Vaga"


A letra da canção da Vanessa Carlton deu "luta" para conseguir perceber, mas acho que a interpretei como a cantora a quis escrever, está mesmo muito bem escrita, revela pormenores muito intímos da vida dela e quanto mais a oiço mais me "assusto" por a perceber tão bem. Quando digo que não estava fácil de a perceber, foi basicamente pela expressão que dá o título à canção. "White Houses"?? Mas que raio queria dizer? Mas após algum tempo a pensar e a pesquisar - o Google é nosso amigo não se esqueçam - acho que entendi. Não vou dizer a que conclusões cheguei, só mesmo lendo, cada um que chegue às suas.


Por fim, vou contar uma pequena história (verídica) que uma amiga contou-me. Quer dizer foi A Amiga, melhor dizendo.
Então a minha amiga conhece uma pessoa já de alguma idade, que ao acordar de manhã tinha sempre muitas dores de/na cabeça. Essas dores seriam, com toda a certeza, do facto de dormir de óculos!! Até que alguém, após escutar mais uma vez os lamentos da senhora, perguntou-lhe porque é que não tirava os óculos para dormir. A senhora respondeu: "É para poder ver melhor os sonhos." e ainda :"É para aparecer nos sonhos com óculos"

Moral da História: têm de ser fabricados óculos de melhor qualidade para não causarem dores de/na cabeça quando uma pessoa quiser sonhar......




Links para as músicas e letras:


Letra - "White Houses"

Letra - "Luz Vaga"
Song - Vanessa Carlton.mp3

Song - Mesa com Rui Reininho.mp3

escrito por PedroTeo às 14:55
link do post | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 23 de Outubro de 2004

A depravação....ou uma noite bem passada...

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us


"A juventude deste país está perdida", já dizia José Castelo Branco. Não? Não foi ele? Tinha quase a certeza que tinha sido.
escrito por PedroTeo às 20:43
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 17 de Outubro de 2004

Se o dia tivesse mais....(2ª parte)

Esta semana, tirei a prova dos nove como tenho deslexia motora. À porta da biblioteca na minha universidade, estava em grande esforço fisíco para tentar empurrar a porta para a abrir, é para que serve. Mas um malandrão de um tapete não me deixava, parecia que tinha vontade própria.
Até que reparei que estavam duas raparigas atrás de mim, com grande ar de espanto, que me disseram :" Diz na porta PUXE..." -ao que eu respondi de imediato- "É que eu tenho deslexia motora..." e começei a mexer energicamente as mãos.
Não sei porque o fiz, mas pareceu-me bem na altura. Para acabar em grande, fui eu que lhes abri a porta, cavalheirismo acima de tudo....
Claro que dentro da biblioteca estava tudo a rir, mas isso faz parte.

Se a semana não teve momentos de grande felicidade, já do fim de semana não posso dizer o mesmo. Tive com os meus amigos, com a familia e que bem me fez. Parece que volto a estar num porto seguro, sinto-me à vontade, sinto que afinal o panorama não é negro, antes pelo contrário tem muitas cores. Cada vez a amizade é um sentimento que necessito, que sinto "sede" quando estou muito tempo sem os meus amigos.
Mas continuo cada vez com mais força, as gargalhadas que tenho dado, a felicidade em que estou ajudam-me a passar a semana de forma decente.

Ainda estou um pouco reticente para me poder envolver a outro nível, pode não parecer mas até tenho vontade, porque vejo que vale apena, vale mesmo muito apena, mas há que esperar, não avançar por avançar, tem muito mais sabor quando se conquista, do que uma invasão sem aviso prévio.
Gostava de conseguir demonstrar mais os meus sentimentos, para os meus amigos saberem o que são para mim, a consideração para com essas pessoas é tanta que não sei o que dizer ou o que fazer para demonstrar.
É melhor parar com esta conversa de novela mexicana, daqui a pouco estou a cantar "Eu quero é paz para o mundo, alegria e amor, paixão e amizade !!", a altos berros. Não é uma bonita imagem....


And maybe I'm too young

To keep good love from going wrong

But tonight, you're on my mind so

you never know

escrito por PedroTeo às 23:26
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 15 de Outubro de 2004

Se o dia tivesse mais....(1ª parte)

algumas horas até teria tempo para escrever aqui. Mas não, são umas míseras 24 horas.
Tenho tantas histórias (?) para contar.
Embora os últimos tempos sejam passados no comboio (a dormir de boca "muito aberta"), no trabalho (quase a dormir) e na escola (a dormir de forma escandalosa mesmo de frente para qualquer professor) tenho tido tempo para me aperceber de algumas coisas.

Dominado pelo cansaço, a vontade de escrever não é muita. Com os dias um pouco ocupados, tento aproveitar ao máximo quando estou com as pessoas que gostam de mim. Ficam para trás os estudos mas avança a felicidade.
Sendo assim passo já para o que considero terem sido os factos da semana. Foram eles:

- a entrega do prémio D.Carlos ao nosso Primeiro Ministro

- a abertura da Quinta das Ce...das pessoas um pouco conhecidas, digamos.

Todas as outras coisas, como o constante bombardeamento do Iraque, a vergonha do ouro negro as declarações do Bagão Félix (o homem, melhor a lenda, que disse que um espermatozóide é vida...), são factos de menor importância, portanto.

Passando ao 1º facto. O nosso PR, quando questionado pelos jornalistas sobre o que vai fazer sobre o prémio de 90 mil € que ganhou respondeu, e passo a citar: " Não desculpem, mas desta vez vai para mim, sabe é que isto está mau....."
O que é sempre muito bom de ouvir pelo próprio PR, dá aquela esperança na retoma ao povo, porque "isto está mau", claro que quer dizer que.....isto está mau ?!?!? Ainda por cima vindo de uma pessoa que ganha alguns milhares por mês. O Sr homem tem todo o direito de ficar com a massa para ele, mas porque é que não se calou, quando é isso que sabe fazer melhor, estar calado e não intervir. Mas o que me irrita é que isto é igual em todo o lado não é só cá.

2º facto: a Quinta das Celebridades. Não se ouve falar de outra coisa. Não tenho visto quase nada, apenas por falta de tempo, não é para se pensar que me estou a armar em bom, de "outro nivel" e que não via essas coisas. Nada disso. Mas faço só duas questões:

- O José Castelo Branco está a participar como concorrente ou como coisa que anda, gesticula e pinta-se??

- O Avelino Ferreira Torres está a participar como animal ou como concorrente??


Vou andando que está a escurecer, a 2ª parte do artigo vem quando puder. A pressão é muita para escrever, ainda poderia levar um shot se não o fizesse. :)
escrito por PedroTeo às 20:32
link do post | Comentar | favorito
Sexta-feira, 1 de Outubro de 2004

O meu amigo João, o meu colega João e os caminhos para Portugal

Primeiro, lembrei-me de escrever sobre o meu melhor amigo de infância, de seu nome João. Quando somos mesmo amigos de alguém conseguimos, quase sempre, desculpar o nosso amigo de tudo. O João tinha uma maneira de ser, ou uma caracteristica, que me deixava profundamente irritado e triste.

Tinha então a "mania" de a última pessoa que tivesse conhecido era sempre o seu melhor amigo, não ligando nenhuma às pessoas que realmente tinham amizade por ele. Esse seu "último amigo", era constantemente elogiado, considerado extremamente inteligente, com uma vida daquelas que toda a gente queria ter, que conseguia sempre tudo, enfim um rol de coisas boas.

Fazia questão de o dizer em voz alta, para quem o quisesse ouvir, magoando claro todos os seus verdadeiros friends. Mas nós já estávamos habituados e tinhamos uma vantagem. É que sabíamos sempre qual o final da história. O final era voltar para os que sempre lá estiveram, que conhecem o João como ninguém. Isto não quer dizer que uma pessoa não possa fazer novas amizades (até é aconselhável que o faça) mas também não invalida que se tenha mais cuidado a avaliar quando se conhece alguém e que se deve deixar o tempo fluir para depois chegar a uma conclusão.

Mas o João era assim. Era, porque já há meses que não o vejo. Sei por amigos comuns que não tem uma vida fácil, não sai de casa com a mulher e que não dá sinais de vida. Dizem que agora está sozinho, apenas com a companheira a seu lado. Se calhar fartou-se de ser enganado pelas pessoas, aprecia o pouco que de bom tem agora e já não quer ter novas amizades.

Não sei o motivo certo, mas sei que tenho saudades dele, daquelas pedradas que me mandava à cabeça (falhava sempre) quando tinha um amigo novo para brincar, deixando-me a mim à parte, mas claro por uns dias só. Tenho de lhe telefonar.

O meu colega João já é outra história. Conheci-o à pouco tempo, quando ia trabalhar de noite, e admiro-o muito pela sua força interior. Teve à alguns meses um acidente de mota que por pouco não o deixava um vegetal. Mesmo assim ficou com mazelas enormes resultantes do acidente. Não vê de uma vista e o seu cérebro prega-lhe por vezes partidas, como esquecimentos e falta de atenção, mas está a recuperar cada vez mais.

O que me espanta nele é o modo como leva a vida. É daquelas pessoas que se presta para tudo, não pede nada em troca, é quase impossível não simpatizar com ele mesmo num primeiro contacto. O que ele me diz é que, agora e cada vez mais, leva a vida dia a dia, dá cada vez mais valor à minima coisa, não se preocupando muito com o futuro mas vivendo intensamente o presente.

Contou-me à pouco tempo que tinha passado num exame a uma cadeira do curso dele. É um grande feito, porque teve quase para desistir e pouca gente acreditava que tivesse força para continuar. Então telefonou ao pai para dar a boa nova. O pai falou pouco tempo com ele e meio engasgado desligou o telemóvel. O João ficou um pouco surpreso mas passado alguns minutos telefonou dizendo-lhe que ficou tão emocionado que não aguentou e chorou. Sempre acreditou no filho e que tinha sido a melhor noticia que lhe podiam ter dado naquele dia.

Quando vou com ele no comboio da ponte a falar, é sempre tempo bem passado, nunca aquelas viagens - a horas indecentes - custaram tão pouco.....


Ah por fim queria deixar algumas indicações de quais os caminhos e pistas a seguir para chegar a Portugal.

Então, epá descem sempre o canal da mancha, passam França, viram para Espanha na esquina com a farmácia e quando começarem a ver tudo muito cinzento, um nevoeiro que não se pode, um cheiro a podre que não vos digo nada, pessoas antipáticas, pessimistas, cruéis maus uns para os outros, onde as crianças não se dão e são (claro) más umas para as outras, onde ninguém é prestável, não há cá sorrisos na cara, onde ninguém se preocupa com ninguém, então podem ter a certeza que estão em Portugal. E eu falo com conhecimento de causa, porque conheço TODA a gente que habita este mísero país.

Esperem...........

Pronto já está, fui só vomitar.

Tinha quase a certeza que a enfermeira tinha dito que eram só 48h para passar o efeito da vacina do tétano, mas parece que não, ainda deliro e escrevo altas baboseiras, ou não.........

Pior que isso só mesmo uma tourada em que antes de espetarem as bandarilhas no touro espetassem ventosas para não ferir o bicho e depois no fim o touro fingia-se de morto, era a ovação de pé e acabava assim.......... ;)
escrito por PedroTeo às 22:33
link do post | Comentar | ver comentários (7) | favorito
Terça-feira, 21 de Setembro de 2004

O sonho da minha redenção

redenção

------------------------------------------------------
do Lat. redemptione

s. f.,
acto ou efeito de redimir;
resgate;
salvação;

ant.,
esmola que se dava para remir os cativos.

Hoje ao acordar, tive a perfeita noção do sonho que tinha dito, o que já não me acontecia à algum tempo. Acordei com a sensação que o sonho que tive foi a minha redenção. Como quase todos os sonhos que nos afectam, este foi muito real, quase que podia descrever onde estava e com quem falei. Todos os meus sentidos estavam activos e respondiam aos estímulos provocados.


Sempre tive uma paixão PLATÓNICA por uma pessoa, que não interessa fulanizar porque não é esse o objectivo, e nesse sonho eu falei com essa mesma pessoa. Lembro-me que ela tinha a perfeita consciência do que eu sentia por ela, que achava normal mas que tinha algo para me dizer, que me poderia causar tristeza e desgosto.


Então, pus-me a falar o mais possivel com ela, como que já prevesse que esse momento seria efémero, queria aproveitar ao máximo, fazer-lhe todas as questões que não lhe coloquei quando tive oportunidade. E falei, falei......lembro-me de cada palavra.

Por fim, após estar completamente embevecido ela olhou para mim e disse que agora era ela que tinha uma última coisa para me dizer. Baixou-se um pouco e disse-me ao ouvido:
"Eu encontrei alguém, podes partir, eu estou bem.....". Por fim pressentindo a minha dor, deu-me quatro ou cinco pequenos beijos na boca, enquanto me agarrava energicamente pela última vez, e eu também a beijava sabendo que seria a última vez que a iria ver.



Vem daí a redenção, porque ela foi a minha salvação, deixou-me partir, não penso mais nela, pelo menos da forma que pensava e compreendi que ela teria de partir sabendo que me afectou de uma forma positiva. Acordei com os olhos molhados, mas ao mesmo tempo com um sorriso nos lábios porque consegui perceber tudo o que se passou, a beleza do sonho e o que siginificava para mim. Agora vou estar atento a novas oportunidades. Vou descer à terra.


Não sei se deixe de ver filmes à noite, ou se são ainda dos comprimidos por causa da vacina do tétano, mas que o que escrevi tem pouco sentido, sim admito.
escrito por PedroTeo às 21:33
link do post | Comentar | ver comentários (5) | favorito
Domingo, 19 de Setembro de 2004

O canudo, a vacina e a amizade.

Na quinta-feira soube que vou passar mais um ano na minha bela universidade que tanto adoro. Adoro-a tanto que até a detesto. Pensei na altura que poderia ser um revés na minha vida, mas percebi que uma situação dessas tem a importância que tem.

Quase toda a gente dá uma grande relevância ao belo do canudo, muitas vezes essas pessoas nem o têm, outras nem sabem que uso lhe dar, outras tiraram-no porque lhes disseram que o deviam tirar.

Por pouco ficava afectado por essa situação, mas quando chego a casa e tenho as minhas duas sobrinhas a abraçarem-me, a rirem-se, a dançarem, a apenas verem-me por quem sou, penso que a vida é muito mais do que julgamos. Paciência, fico mais um ano a estudar, mas podia haver coisas piores, podia-me cair um braço, ou dois, e a lista de coisas piores é interminável.....

Para acabar a semana em beleza, quando fui inscrever-me na minha uni, descobri que pela primeira vez tinha de ter a vacina do tétano em dia. Tudo bem já não levava vacinas desde 92 mas isso são pormenores......

E lá fui eu a correr para um centro de sáude mais perto possível. Cheguei, a enfermeira com a simpatia habitual disse-me: "Vá sente-se, você é daqueles que se portam bem ? Ah é sim senhor que até trouxe o papel. Dê cá isso e sente-se."

A enfermeira, porventura ao aperceber-se do meu estado de apavorado, perguntou-me: "Então está com medo? Um homem desse tamanho? Mas é um homem ou um rato?"

Eu ainda lhe respondi: " Mas não há uma terceira opção? Não? Epá....."

Conclusão da história: fiquei o fim de semana doente, à pala da reacção da vacina. Viva!



Por fim queria fazer uma declaração pública sobre a amizade, ou melhor sobre uma amiga em particular. De seu nome Paula, ela tem sido nos últimos tempo aquilo que os amigos deveriam ser uns para os outros. Quando precisei dela, esteve sempre lá, para me animar, para me fazer rir, para me fazer ver as coisas como são, para relativizar tudo o que é relativo, ou seja ela tem sido amiga, simplesmente. Deu-me conselhos sábios, fez-me ver todos os lados dos problemas. Enfim foi e tem sido aquilo que precisava quando tudo parece uma pouco enublado, nada parece correr como devia, mas após alguns minutos de conversa volta o sorriso à minha cara. É pena não conseguir demonstrar mais, mas acho que ela percebe. Epá se não perceber, que se lixe.....;)


E o pensamento do dia de hoje é também oriundo (epá sonhava poder escrever esta palavra um dia) de uma amiga:

não... é saber q não tem argumentos... então o mais fácil é fugir...

é uma especie de instinto animal....
escrito por PedroTeo às 21:29
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 15 de Setembro de 2004

Estive mesmo para mudar o titulo do blog

mas cheguei à conclusão que não valia apena.

Na segunda-feira acabei a relação com a minha namorada até essa data, a Sara.

Fartei-me de pensar, de escrever, de apagar, para arranjar as palavras certas e não as palavras que se dizem quando estamos de cabeça quente, envolvidos por sentimentos de tristeza, raiva ou seja o que for.

Mas, acho eu, fui sensato e com calma acabei por lhe dizer que a nossa relação já não estava boa, acabaria por se deteriorar e ela não merecia isso.

Sim, porque lá por se acabar uma relação com uma pessoa não quer dizer que o respeito não se mantenha e que não tenha tido orgulho de ter sido seu namorado enquanto ela cá esteve.

Fiquei bastante "contente"(é uma palavra não muito adequada nesta altura mas pronto), após ter lido o blog da Sara e um dos seus artigos, onde ela revelou ter uma grande maturidade e sensatez, como eu sempre pensei que ela viesse a ter. Acabou por aliviar um pouco mais os meus sentimentos de tristeza e perda.


Ah em relação ao titulo, não o vou mudar porque nunca se sabe o que o futuro nos reserva, eu vou continuar à espera de algo, não sei bem o quê, mas deve ser algo que me deixe feliz.

Afinal pensava que era rancoroso, mas não o sou, estou em paz comigo mesmo e com o que fiz, mas claro não estou num estado de imensa felicidade, como é óbvio.



Oh simple thing where have you gone

I'm getting old and i need something to rely on

So tell me when you're gonna let me in

I'm getting tired and i need somewhere to begin
escrito por PedroTeo às 16:27
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 12 de Setembro de 2004

A interacção também anda por aqui

Estás a ver Sara? Não é só no teu blog que existe interacção.

Recebi também um comentário da "Teresa" - a quem desde já agradeço por sequer se ter dado ao trabalho de o ter escrito - que revela também muita interacção e um grande timing, se assim se pode chamar.

Eu agora também podia pensar que seriam amigos teus que o tinham escrito, àvidos por te ajudar, é totalmente compreensivel, pelo que se passou no teu blog nos últimos dias, embora não tivesse nada a ver com isso. Mas não, jamais, alguma vez? Não! Nunca! Não pode....

Embora o objectivo claro do comentário tenha sido me insultar um pouco, não me preocupou nem me atingiu em nada. Até retiro coisas positivas do que a "Teresa" disse. Chamou-me nabo e eu acho que tem razão, tenho sido nos últimos dias, mas isso está prestes a mudar, já chega de ser como estou a ser. E não vou apagar nada, seria se calhar mais fácil de fazer, mas o que está escrito está escrito, e as palavras, opiniões, devaneios ou mal dizer de uma pessoa não se apagam, independentemente de não serem em nosso favor.
A piada está em vermos como somos todos um pouco crianças, cometemos criancices por coisas sem importância nenhuma e como toda gente é forte e valente quando está a teclar.

Chateou-me sim, ou melhor desiludiu-me, saber em que altura foi feito e o intuito do comentário, mas pronto as acções ficam para quem as pratica.

Não sou só eu que tenho o dom de estragar o dia de alguém. Tu também tens Sara. Estragas o dia, a noite, o fim de semana logo todo. É tipo o pack total.



The prettiest people do the ugliest things
escrito por PedroTeo às 12:04
link do post | Comentar | favorito
Sábado, 11 de Setembro de 2004

Reaberto ao público

Após bastantes dias de interregno, vou voltar a escrever e desta vez com uma maior cadência , espero eu.

Foram dias de grande stress, devido à época de exames na minha uni, mas tenho a mente mais desanuviada.

A vontade de escrever é um pouco maior, embora continue a ser um processo doloroso a escrita, para mim.

Mas vou mudar, vou escrever sobre coisas mais abrangentes, sobre o quotidiano e aquilo que vejo e leio.

Ah, depois de consultar a Federação Internacional do Blogueiro e verificar as suas regras de conduta, constatei que tenho de agradecer aqueles que escreveram comentários aqui.


O meu muito obrigado.
Até já, o mais tardar amanhã.

escrito por PedroTeo às 15:16
link do post | Comentar | ver comentários (5) | favorito
Sábado, 28 de Agosto de 2004

Como escrever que estou a gritar?

Porque queria realmente saber.

Dizem-me que é fácil, basta escrever "estou a gritar", ou "arghhh", mas não sei se é suficiente, se dá uma boa ideia da vontade que tenho de gritar com os dois pulmões cheios que tenho. Estragar mesmo as cordas vocais tal seria a intensidade dos gritos.

É que há coisas que são tão nitídas, tão lógicas, que já deixei de tentar perceber o porquê das pessoas continuarem a agir de determinada forma.

Então pensei e se gritasse muito? Será que percebiam? Ou apenas assustava e questionavam a minha sanidade? Ou não provocava reacção de qualquer espécie?

Estive quase a escrever um artigo sem citar qualquer frase de alguém, mas não resisti mais uma vez. Pode dar uma ideia de comodismo, mas esses pensamentos ou frases expressam tão bem o que por vezes cada um de nós sente, que prefiro desta forma. Por isso fica mais uma citação, melhor um pensamento:



Porquê Camuflar as Nossas Convicções?

Desde que nos propomos emitir uma verdade de acordo com as nossas convicções damos logo a impressão de fazer retórica. Que espécie de prestidigitação vem a ser essa? Como é que nos nossos dias não poucas verdades, proferidas que sejam, por vezes, mesmo em tom patético, imediatamente ganham aspectos retóricos?
Porquê é que na nossa época cada vez há mais necessidade, quando pretendemos dizer a verdade, de recorrer ao humor, à ironia, à sátira?
Porquê adoçar a verdade como se se tratasse de uma pílula amarga?
Porquê envolver as nossas convicções num misto de altiva indiferença, digamos, de desprezo para com o público?
Numa palavra, porquê certo ar de pícara condescendência?
Em nossa opinião, o homem de bem não tem de envergonhar-se das suas convicções, ainda mesmo que estas transpareçam sob a forma retórica, sobretudo se está certo delas.



Fiodor Dostoievski, in "Diário de um Escritor"

escrito por PedroTeo às 22:21
link do post | Comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 3 de Agosto de 2004

Questão pertinente :

a amizade entre sexos opostos. É possivel ? É falsa ? Ou pode normalmente existir ?


Li um pequeno artigo num jornal sobre a questão onde também tinha um extracto de um diálogo de um filme ( When Harry met Sally, 1989, com Meg Ryan e Billy Crystal), que acho muito engraçado, muito bem escrito, de um humor inteligente. Talvez é um pouco exagerado, mas deve haver muita gente que pensa que as relações são mesmo assim. O diálogo era:



Harry: Sabes que seria impossível sermos amigos.....

Sally: Porquê ?

Harry: O que eu quero dizer - e isto não é, de maneira alguma, uma tentativa de engate - é que os homens e as mulheres não podem ser amigos porque há sempre a questão do sexo.

Sally: Não é verdade. Tenho uns quantos amigos e o sexo nunca esteve em causa.

Harry: Não tens, não.

Sally: Tenho sim.

Harry: Não tens, não.

Sally: Tenho sim.

Harry: Apenas julgas que tens.

Sally: Estás a querer dizer que ando a ter relações com estes homens sem saber ?

Harry: Não. Aquilo que estou a dizer é que todos eles QUEREM ir para a cama contigo.

Sally: Não querem nada.

Harry: Querem sim.

Sally: Como é que sabes ?

Harry: Porque nenhum homem é capaz de ser amigo de uma mulher que ele ache atraente. Tem sempre vontade de ir para a cama com ela.

Sally: Estás a dizer que um homem pode ser amigo de uma mulher que não ache atraente ?

Harry: Não. Também quereria dar umas voltas com ela.

Sally: Já puseste a hipótese de ELAS não quererem ir para a cama contigo ?

Harry: Não interessa. A questão do sexo já foi levantada, por isso a amizade está condenada. Ponto final, parágrafo.

Sally: Bom, então parece que não vamos ser amigos.

Harry: Parece que não.

Sally: Pena. És a única pessoa que conheço em Nova Iorque.

 


Acredito que exista muitos homens com as hormonas na testa, mas gostava de acreditar no contrário, na simples amizade.

escrito por PedroTeo às 18:55
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 27 de Julho de 2004

Receita

para quando se está em baixo.
Juntar melancolia aos quilos, tristeza q.b, a discografia dos Air e o último album de Rodrigo Leão "Cinema".
Depois deitar na cama, olhar para o tecto e deixar aquecer.

Pode ser que se consiga ouvir coisas como esta:


Hoje o céu está mais azul
Eu sinto
Fecho os olhos mesmo assim
Eu sinto
O meu corpo estremecer
Não consigo adormecer


Amor
Nem o tempo vai chegar
Para dizer o quanto eu sinto
Você longe de mim
É uma espécie de dor


Hoje o céu está mais azul
Eu sinto
Olho à volta mesmo assim eu sinto
Que este amor vai acabar
E a saudade vai voltar


Amor
Nem o tempo vai chegar
Para dizer o quanto eu sinto
Você longe de mim
É uma especie de dor


Já não sei o que esperar
Dessa vida fugidia
Não sei como lhe explicar
Mas é mesmo assim o amor

escrito por PedroTeo às 22:17
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 20 de Julho de 2004

Hibernação q demorou 6 dias

Escrevo porque a Sara, minha namorada, assim o pediu.


Novamente na onda das citações e belas frases.


"Muitas pessoas pensam que a felicidade somente será possível depois de alcançar algo, mas a verdade é que deixar para ser feliz amanhã é uma forma de ser infeliz."


(Roberto Shinyashiki)

escrito por PedroTeo às 20:54
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 14 de Julho de 2004

Notas & Citações apenas, depois hiberno.

Deixo algumas notas que escrevi, citações de pessoas amigas e depois só volto a escrever quando existir algo de realmente novo e não sempre os mesmos artigos do género "estou melhor" e "estou pior". Ou seja quando partir um braço, ou dois braços, ou até mesmo partir um braço e deslocar um joelho, ou quando o Benfica for campeão, isso sim implica um novo artigo. Cá vai de forma aleatória : 


"Só queria dormir descansado "


"Quando vem a noite, vem a vontade de estar com ela "


"Como é que nunca me apercebi que estava sozinho ? "


"A solidão é sufocante quando nos apercebemos dela "


"Não poder dizer o que sinto, porque não serve de nada para o que queria, é frustante "


"Dizem-me que tudo é uma aprendizagem, mas eu não queria aprender sozinho "


"O nosso lugar é ao lado de quem se ama "


 


Até qualquer dia, esperemos que brevemente.

escrito por PedroTeo às 20:55
link do post | Comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 10 de Julho de 2004

De dia para dia

vou-me acostumando à ideia de não ter a minha namorada comigo. Já chegou ao estado de Oregon (Salem mais propriamente), foi recebida pela sua "host family" (período de um ano) e disse-me que estava bem que as pessoas são simpáticas, que o quarto dela é enorme, ou não fosse uma casa de campo americana, e eu cá vou me aguentando.
Tenho tido alguns estímulos pessoais que me ajudam a estar com o espirito em alta, sem ter muito tempo para pensar nela.
Mas o que também já me apercebi é que a saudade não vai passar, vai é ser cada vez mais uma saudade "mais feliz", mais pacifica, sem grandes sofrimentos. Porque agora a contagem para a tornar a ver é sempre a decrescer o que só me anima.
E como alguém me disse ninguém dá em maluco, nós pensamos que sim, mas o ser humano dá sempre a volta e eu cá estou para a dar !
escrito por PedroTeo às 17:22
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 6 de Julho de 2004

Vamos ver se isto passa

O meu amor já se foi embora. Foi para os EUA no dia de ontem.

Eu estou bastante desorientado, aluado, sem saber bem o que pensar.
Agora com os telemóveis, internet e afins deveria custar menos, mas pelo menos a mim, faz-me muita impressão ouvir a sua voz, sabendo que ela está a milhares de quiilómetros de distância.
Quase que lhe pedia para não me telefonar, mas isso seria ainda mais sufocante, tenho de pelo menos ouvir a sua voz. É como a expressão: "preso por ter cão e preso por não ter".

Toda a gente diz-me que de dia para dia vai ser cada vez ser mais suportável. Isso é o óbvio, claro que o tempo ajuda, mas eu não queria sequer era estar a passar por isto.
Pode ser que me fortaleça ainda mais.

Ah e também me dizem que ninguém morre por amor. Eu aí já ponho essa afirmação em causa.
escrito por PedroTeo às 22:34
link do post | Comentar | favorito

Archive - "Again"

You're tearing me apart
Crushing me inside
You used to lift me up
Now you get me down
If I
Was to walk away
From you my love
Could I laugh again ?
If I
Walk away from you
And leave my love
Could I laugh again ?
Again, again...

You're killing me again
Am I still in your head ?
You used to light me up
Now you shut me down
If I
Was to walk away
From you my love
Could I laugh again ?
If I
Walk away from you
And leave my love
Could I laugh again ?

I'm losing you again
Like eating me inside
I used to lift you up
Now I get you down

Without your love
You're tearing me apart
With you close by
You're crushing me inside
Without your love
You're tearing me apart
Without your love
I'm dazed in madness
Can't lose this sadness
I can't lose this sadness

escrito por PedroTeo às 22:16
link do post | Comentar | favorito
Terça-feira, 29 de Junho de 2004

Dois excertos de canções adequados ao meu estado actual

It's time to say goodbye
Block out the sun and pack up the sky
Don't let my tears start to make you cry
Each time I try to say my goodbye
Try to stop asking why


But I'm all, all alone again
Thinking you will never say
that you'll be home again

escrito por PedroTeo às 10:30
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 24 de Junho de 2004

O contador

do lado esquerdo serve para contar os dias em que vou estar sem a pessoa que amo.


A partir do dia 5 de Julho ela vai-se embora e eu decidi fazer um contador porque ao olhar para ele dia após dia, só me vai dar mais alento para continuar a aguentar, vou sofrer cada vez menos, irão faltar cada vez menos dias e eu estou cada vez mais habituado a olhar sempre para o lado positivo das coisas.


Se eu tiver a certeza que ela vai ficar bem e com a preciosa ajuda das novas tecnologias, vou passar "melhor" os dias. Mas ainda tenho arrepios, suores, apertos no peito (este sintomas todos mais à noite) quando penso no que há-de vir.


Epá e é só.

escrito por PedroTeo às 19:03
link do post | Comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Junho de 2004

Cara lavada

É só para dizer que o blog está com um novo aspecto, embora não seja ainda final.
O resto vai tudo muito bem !
escrito por PedroTeo às 16:54
link do post | Comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Junho de 2004

Actualização sentimental

É só para dizer que estou feliz.


Não consigo escrever mais nada com grande sentido, tal é o meu estado.


Sara estás a ver ? não me sai nada de jeito, continua a custar-me muito escrever.


Admiro quem o faz tão bem --> Gato Preto

escrito por PedroTeo às 14:53
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 14 de Junho de 2004

Tenho de mudar o titulo do blog

Já estou farto de me arrepender de não fazer aquilo que sentia, e como alguem me disse recentemente: "Nossas duvidas são traidoras, fazem-nos perder, frequentemente o k poderiamos ganhar, por medo de arriscar" .


Mas não vou mudar, só porque têm sido milhares de visitas diárias ao meu blog, um fenómeno....

escrito por PedroTeo às 18:14
link do post | Comentar | ver comentários (1) | favorito

21 Grams....pronto não são gramas mas dias. Mas fica mais bonito.

Tenho 21 dias. Em vinte e um dias à ....bueréré de minutos. Eu vou aproveitá-los todos.
Já que nunca me senti tão bem como agora acho que tenho todo o direito.
Decidi também que vou lutar para que sejam mais.
Desculpa "doida jeitosa" mas vai ter de ser.
Tenho dito, ou melhor, escrito.
escrito por PedroTeo às 17:39
link do post | Comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Junho de 2004

Bem só faltava eu...

a ter um blog, recebi hoje o prémio de ser a última pessoa que ainda não tinha um blog. Foi um vale no valor de 25 euros para gastar numa pousada da juventude.

http://gatopreto.oxidado.com (Para começarmos com uma boa leitura)
escrito por PedroTeo às 15:01
link do post | Comentar | ver comentários (4) | favorito

Pesquisar

 

Março 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Artigos recentes

Fechado

"Tú"

Duas noticias bem bonitas

As coisas que nos dizem e...

O mesmo ciclo, novas atit...

Mesmo "bué" coisas para l...

"Take me Away"

"Garden State"

Foi apenas mais um dia

Quando ninguém me vê

O fim do ano

To understand

Feliz Natal !!

Mais uma companheira nest...

Bilhete da minha sobrinha...

Arquivos

as minhas fotos

blogs SAPO

subscrever feeds